Dizer não é dizer sim

Por
entender que o ato de comer não é apenas ingerir um alimento pensando
somente nos nutrientes e calorias que este oferece é que resolvi estudar
e me especializar nesta área tão complexa e ao mesmo tempo fascinante
que é a Psicologia Alimentar.

 Comer é afeto, cultura, vida em sociedade. Comer é existir, fazer parte, consumir.

Nosso
primeiro alimento é o leite materno. Para o bebê, a mamada é um momento
de carinho, afeto, acolhimento, de sentir o cheiro da mãe. E esse
registro é permanente, tatuando em nossa memória a estreita ligação
entre o afeto e o alimento.

Ninguém
lembra do pão caseiro com doce de leite que a mãe fazia como “aquele
carboidrato cheio de gordura e açúcar”. Nós lembramos da sensação de
aconchego na casa inteira que cheirava a pão, do prazer da companhia de
nossa mãe e irmãos, do carinho entregue junto com aquela iguaria.
Definitivamente: comer não é apenas engolir um alimento.

Aos
pais, cabe a linda e trabalhosa tarefa de apresentar o mundo aos
filhos. Isto inclui a apresentação dos alimentos e a forma adequada de
comer. Vejo que muitos pais e mães têm lido cada vez mais sobre
alimentação saudável e fazem o possível para transmitir bons hábitos aos
filhos. Dizer não àquilo que não faz bem é dizer sim a um futuro longo e
saudável.

Porém, não é raro
que pais que possuem informação de qualidade sobre alimentação também
me procurem relatando dificuldades em relação a alimentação dos filhos.
Geralmente, quando estes chegam até mim com esta preocupação, é porque o
filho já está obeso e esta condição os preocupa. Dizer a eles “apenas”
que não devem mais oferecer doces ou fast food ao filho não é
suficiente, pois é preciso analisar o papel que a comida possui para
esta família e qual lacuna eles buscam preencher através dela. Crianças
querem o que é fácil e gostoso, ponto final. Sobra pra nós a ingrata
tarefa de negar. Mas que mãe fica a vontade ao negar o “seio” ao filho?

Dizer
não a um filho não é uma tarefa agradável. Ainda mais quando existem
questões emocionais mal resolvidas presentes nesta relação. Compreender
que a negativa não pressupõe desamor pode ser algo difícil, mas
necessário. Mas como?

Vamos entender porque pra você é tão difícil dizer não?

Se
você estiver passando por essa situação e precisa de ajuda para
compreender o que está acontecendo e buscar soluções para que isto se
resolva, eu posso te ajudar. Marque uma sessão. Sempre é tempo de buscar
saúde e tranquilidade na sua vida e relações.

Psicóloga Lauren Faller

Crp: 07/20297

Cel/whatsapp: (51) 98172–8927

www.psicologalaurenfaller.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *