Como você se vê?

Comida e experiências, o que isso tem a ver com forma que me vejo e me alimento?
A aceitação do seu corpo, das suas formas, está intimamente ligada à cultura.

Milhões de mulheres, no mundo todo, olham para seus corpos e se sentem inadequadas. Somos bombardeados a todo instante com imagens alteradas em programas de edição de fotos, onde a perfeição dos corpos só existe no mundo virtual. As redes sociais podem ser uma ferramenta de adoecimento mental, caso sejam usadas em demasia e de forma equivocada. Perfis que incentivam um comer rígido e dietas malucas fazem com que as pessoas se sintam cada vez piores com seus corpos e enxerguem características pessoais como defeitos.

A indústria é expert e criar demandas através da criação de “defeitos” que são apenas características. Te fazem acreditar que você é o problema e que eles têm a solução. A padronização dos rostos, corpos, sorrisos, apaga o que nos faz únicos e belos.

Não preciso nem dizer o tamanho da culpa e ansiedade que esse mecanismo maquiavélico traz para as mulheres, a imagem fala por si. Excesso, falta, são apenas os dois lados da mesma moeda. Quando super investimos o corpo, esquecemos das mulheres que estão dentro dele.

E não confunda auto cuidado com adequação. Quando cuidamos de nós mesmos buscamos atitudes que nos trazem saúde, tranquilidade e bem estar. Quando buscamos nos adequar aos padrões estéticos, mesmo que agridam nossa saúde, estamos caminhando rumo à doença.

Auto cuidado, vaidade e querer estar bonita são movimentos saudáveis. Mas é preciso entender que cada pessoa vai descobrir, estando conectada consigo mesmo , a melhor forma de fazer isso.

Através da Psicoterapia e do espaço de escuta e reflexão que esta oferece, é possível compreender o porquê de um modelo disfuncional em relação a alimentação. Refletir, acolher e ressignificar é o caminho para a construção de uma nova história, com novas possibilidades mais saudáveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *